Curriculum Helder Tavares

Natural de Santa Maria de Lamas, Santa Maria da Feira, iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Paços de Brandão e prosseguiu-os na Academia de Música de Oliveira de Azeméis. Na ESMAE – Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto (Licenciatura com António Saiote e Nuno Pinto) e Universidade de Aveiro (Pós-graduação em clarinete com Alain Damiens e Mestrado em Ensino de Música). Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.
Fez parte da Orquestra nacional de Sopros dos Templários, Orquestra de clarinetes “Invicta” (com as quais gravou dois CD’s) e Sinfonieta – Orquestra Inter-Escola do Norte, tendo colaborado também com outras orquestras portuguesas. Com a orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira, assumiu o lugar de solista e assistente do naipe dos sopros; foi concertino da Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira desde a sua fundação até 2004.
Obteve o 2º Prémio Nível Superior em Música de Câmara, com o Quarteto de Clarinetes do Porto, na 13ª Edição do Prémio Jovens Músicos RDP e foi finalista no Concurso internacional de Música de Câmara de Osaka no Japão.
A sua atividade enquanto músico e maestro já o levaram a países como França, Espanha, Bulgária, Japão, Itália, Suíça, Alemanha e China.
Foi docente na Academia de Música de Paredes e Santa Maria (Santa Maria da Feira), ESPROARTE, ARTAVE, CCM e Conservatório de Música da Maia. Ensina atualmente na Academia de Música de Paços de Brandão e no Conservatório de Música de Fornos e tem orientado vários cursos de aperfeiçoamento.
Frequentou o curso de direção de orquestra Osvaldo Ferreira, Alexander Polishchuk, Peter Rundel (Remix Ensemble) e Douglas Bostock (Argovia Philharmonic); na vertente de direção de orquestra de sopros, realizou cursos com Jan Cober, Eugene Corporon, J. Rafael P. Vilaplana e Douglas Bostock. Estreou-se como maestro com a orquestra de Jovens do Concelho de Santa Maria da Feira, em 2003, tendo entretanto dirigido o “IV Estágio Nacional de Orquestra Sinfónica” no Conservatório de Música de Fornos (2009) e a Orquestra Sinfónica deste Conservatório (2010), o primeiro flash mob da Banda Sinfónica Portuguesa (2012) e “Queen Symphony” na Sala Suggia – Casa da Música (Porto), com a Banda Sinfónica Portuguesa (2014), onde recebeu excelentes críticas e na abertura do FIMUV’15 – Festival Internacional de Música de Verão, com grande sucesso. Com a Banda de Música da Cidade de Espinho, foi premiado no Concurso Internacional de Bandas Ateneu A. Vilafranquense.
Atualmente é diretor artístico do Clarinetíssimo Ensemble, Art’ Ensemble, grupos dos quais é co-fundador e da Banda de Música da Cidade de Espinho desde 2005. Colabora regularmente com a Banda Sinfónica Portuguesa.
Gravou dois CD’s, com o Clarinetíssimo Ensemble e com a Banda de Música da Cidade de Espinho.